segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

O fim de um ciclo, o começo de outro

Nenhum comentário:
Hoje, faço minha despedida do blog Imagine.
É uma pena.
Mas aqui, encerro este ciclo, para iniciar um novo.
A partir de hoje, Imagine será história, parte da história de muitas pessoas que leram, que curtiram, que se viram aqui. Muita gente já passou pela minha vida, algumas aqui descritas.
Hoje começo um ciclo diferente, com objetivos diferentes. Quero escrever, quero me dedicar de corpo e alma a este projeto, não para ganhar dinheiro, mas para deixá-lo mais sério, mais atraente para quem lê.

Pois, encaramos a nossa vida todo dia e, por mais que eu goste da ideia de que o mundo poderia ser melhor se tivéssemos mais amor no peito e menos cérebro, mais sangue que ferve ao ver alguém como nós sofrer e tirar as caras mesmo sem conhecer, não é assim e não poderia escrever sempre assim.

Neste blog, escrevi muito sobre amor, muitos poemas, muitas histórias verídicas que aconteceram comigo, cada poema, quando leio, lembro do que passei, do que vivia naqueles dias, naqueles momentos. É mágico isto, por isso, encerrarei com este post tão especial.

Aqui, explico um pouco do que será o Diário de um Nerd. Por quê deste nome? Eu não sou nenhum aficcionado em Star Trek, nem sou extremamente gordo, nem super viciado em games. Eu gosto de computação, faço curso técnico em informática, gosto de escrever em blogs, tenho vasta imaginação, joguei muito RPG, assisti e assisto muito desenho animado, muitos filmes, e curto muito livros. Isto me caracteriza um nerd. Por isto o nome. Será algo diário, dentro do possível. Será sobre coisas que nos acontecem no dia-a-dia. Coisas que observo, que vivo, que aprendo, que quero ensinar.

E, mais uma vez, agradecer a todos que liam, lêem e ainda vão ler este blog, pois no começo, não visava escrever algoi diário, não imaginava ter o respaldo que já tive e graças a vocês, que leram, que lêem, que me apoiam e incentivam, eu continuo. E não, não sou um blogueiro famoso, não tenho milhares de fãs, tenho modestos seguidores, tive muitos leitores, das minhas amizades de msn, internet e afins. Pessoas que escrevi sobre que hoje nem sei onde estão. Nem acho isto uma pena, a gente muda e percebe o quanto a gente já foi idiota... Mas isso são outros quinhentos... Hehe, vamos ao que interessa?

Vamos ao que interessa...

----------------------------------------------------------------------------
***  Mito ***


Penas azuis, uma plumagem sublime, olhos profundos e negros,
Suas patas rosadas e unhas afiadas causavam medo
Seu bico afiado e seus golpes baixos,
Pontapés e mordidas, uma mistura que devia ser proibida.


Calmo e sábio, cheio de felicidade
Desastrado e covarde, 
Sabia escutar, sabia falar
Parecia entender, parecia sofrer junto


Dava trela para todo mundo, era popular,
Seu nome o mundo ainda vai rodar
Quem o conheceu, nunca o esqueceu,
Como entender como numa cabecinha tão pequena,
Havia tanta coisa, até as soluções para nossos problemas



Sua perda veio junto de uma grande conquista,

Um sofrimento sem precedentes,
Junto do meu melhor momento


Jamais será esquecido, pois merecia um memorial,
sempre estará comigo, pois sempre foi muito especial
Zuluzko, voe adiante, passe o que sabe
para todos que voam contigo aí em cima,
Zuluzko, você ainda me acompanha todos os dias,
em pensamento, pois sempre penso em ti


Zuluzko, uma lenda, um mito.
O meu primeiro filho.
----------------------------------------------------------------------------

*Zuluzko Eterno*
*20/09/2005 
t30/12/2010 

----------------------------------------------------------------------------

Não poderia encerrar de outra forma.
Zuluzko, tu sempre estará na cabeça da gente, assim como quero que este blog fique.
Quase um ano sem você, né meu amigo?
Pois saiba que estou bem, também voando pelos caminhos da vida, agora sem tu aqui do lado, mas concerteza contigo na cabeça.
Voe feliz, seja feliz, como eu sou.
Imagine, voe, viva. ♥

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Pucca e Garu

Nenhum comentário:
Olhos puxados, cabelo curtinho
Linda e meiga,
Minha amiga perfeita,
Que nunca mais me deixou sozinho

Me acompanha em tudo, em todo momento
Está comigo, me chama de melhor amigo
Me beija e me abraça,
Não me troca por nada, nem cachaça

Minha japinha, minha Pucca,
Nunca me senti tão bem numa sinuca,
Sem ter para onde ir, onde correr,
Pois nesse bico, não preciso olhar para nada além de você

Se eu não tivesse tu aqui do lado sempre que preciso,
continuaria a ser um nada, preguiçoso e indeciso
Se eu não tivesse sorte, não teria te encontrado,
continuaria a ser um perdido mal amado

Por tua causa, me tornei um "Garu",
contigo na minha cola sempre, querendo um beijo
Me deixa insano,
fora de mim, sem querer te largar, correndo atrás dos teus desejos

Pois, isso é amor,
do tipo que eu só achava em livros e filmes.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Minha palavra

Nenhum comentário:
Muito já li sobre família, pouco entendi, já que disso, pouco vivi.

Apoio, suporte, amor de verdade, blá, blá, blá. Tantos adjetivos que não consigo entender, afinal, meu apoio sempre veio de um espelho. Raras foram as vezes das quais um amigo, ou amiga, chegou e disse: conta comigo, e foi de verdade. Até um ano atrás, tive duas, três pessoas que eu sei que se importavam, importam, de verdade comigo. Que, se eu estivesse de cama num hospital, iriam me visitar de pura vontade, eis que muitos nem lembrariam.

Família, para mim, sempre foi uma pessoa, que, mesmo ratiando, mesmo me esquecendo às vezes, sempre esteve ali para, ao menos, escutar. Não estou me fazendo de coitadinho, do contrário, isto me ensinou muito.

Sei que serei criticado por quem ler, sei que posso até ser injusto com alguns, mas é a minha visão e a crítica é aberta.

Meus parentes próximos, mesmo, são minha dinda, meu primo/irmão, meu dindo e meus pais. Bem, agora devem pesnar: " mas ele ta se esquecendo do apoio dos pais?"

Eu explico, meus caros amigos, tic. Sim, tenho pais, pais que provavelmente me amam bastante. Cumprem com o que tem de cumprir, pagam contas da casa, me dão presentes no aniversário, no Natal. Me cobram as coisas, me deram educação. Mas isto não quer dizer que tenham sido bons o bastante né?

Não tô reclamando, nem poderia. Mas acho correto criticar certas posturas. Meu relacionamento com meu pai já foi mais conturbado, com vezes que pensava que sairíamos no soco. Mas hoje, quando não gosto de algo, eu me imponho e ignoro, apenas. Não sou de confusão, mas sei que meu pai é uma boa pessoa. Com os outros, claro.

Por mais que seja meu pai, se eu parar para olhar para trás, para o presente, posso ver claramente o seguinte: se ele ama, se ele se importa, é difícil pra caramba de perceber. Afinal, rir da desgraça alheia é algo comum entre amigos, colegas, estranhos... Mas rir da decepção de uma pessoa próxima como um filho, não. É algo absurdo, ridículo. Aliás, cobrança nunca me assustou, porém ele me cobra até demais e juro que nunca liguei, até que comecei a ouvir de outras pessoas isto, que me cobrava demais.

Mas, como eu poderia falar muito aqui sobre esta particularidade, irei me conter e resumir numa linha. Meu pai sempre foi nota 7 até eu parar pra pensar que não era tão bom assim, por isso, cai para 5.

Minha mãe, coitada. Ela, do fundo da alma, quer o meu bem e eu sei. Mas ela não sabe como motivar, como me entender e tem uma certa paixão alheia à família, além das vezes em que foi meio estúpida ao ceder coisas para as pessoas erradas. Ela cuida demais do dinheiro, que normalmente nem dela é. MAs não estou aqui apenas para criticar, afinal disse que ela é uma boa mãe. Sempre tentou isso, de 0 a 10, fico com 7.

Sei que muitos pais de meus amigos não chegariam perto dos pais qeu tenho. MAs, o que meus pais não tem, outros têm e vice-e-versa. Ao menos nisso, há um pouco de justiça nessa injustiça, afinal o ideal seria equilíbrio.

Então não venham com críticas comuns que imagino receber por isto. Se for pra falar ISSO, então não fala.

A não ser que tu seja uma daquelas 2, 3 pessoas que citei logo no começo do post. Se você for uma dessas pessoas, você saberá. #ficaadica

Dindo, dinda, primo/irmão. FAzem seu papel, não somos os mais próximos, mas há respeito.

Diria que na família, como sempre fui a ovelhinha negra, a pessoa culpada de tudo, enfim, não me levam muito a sério. Creio que, se eu tivesse maior respaldo da família, eu poderia ser uma pessoa melhor, talvez até mais aplicada. Vejo outras famílias e dá um pouco de inveja, sim, penso em um dia poder compensar isso que não tenho com uma família que eu contruí.

Na família, diria que fui reconhecido como gente quando comecei a trabalhar cedo, me citaram como exemplo, por ter começado cedo. Por nunca parar de trabalhar e querer ser independente, etc. Bem, eu sou um cara de sorte, sempre fui bem nos trabalhos, porém nunca durei muito. Tenho um dom. Eu consigo a antipatia de muita gente, normalmente de quem, numa empresa, não é bom ter a antipatia. Fazer o quê.

Um dia espero me acertar. Afinal, segundo testes vocacionais, sou bom em lidar com pessoas.

Mas, concluindo. Queria apenas dizer estas palavras, dizer que não posso dizer que sei o que é uma família, mas que aos poucos, acabei formando outra família. Tenho duas, três pessoas, que eu considero uma família escolhida, da qual eu compartilho gostos, sentimentos.

Pessoas com as quais posso desabafar, criticar e ser criticado, ouvir e ser ouvido, xingar e ser xingado,criticar e ser criticado e a melhor parte, amar e ser amado. De diferentes modos, como na família, afinal temos o clichê de amar essas pessoas do mesmo sangue, mesmo às vezes não parecendo que fazemos parte desta linhagem...

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Batalha Perdida

Nenhum comentário:
Você sonha e planeja,
imagina o que almeja
Você se esforça, cansa e se esforça mais,
espera o reconhecimento, que nunca verás

Sente um desprezo, senti uma dor, a dor da decepção,
consig mesmo, sem sequer entender
doía seu coração

Imaginou um futuro ideal,
acreditou que tudo ia mudar, não teria explicações para dar,
que a sensação de parasitar, ia ter um final

Se iludiu, se enganou, ficou esse ressentimento,
ouviu risadas, ouviu provocações, foi jogado numa tormenta
Olhou para o espelho, viu seu rosto abatido,
seu olhar perdido

Ouviu o telefone tocar, uma voz doce e harmoniosa a lhe contar
que não importava a queda, sempre iria acreditar
e que ele devia tentar, pois não ia adiantar, se ele mesmo não acreditasse
e não se esforçasse

Ele olhou para a frente, planejou de novo, mudou o caminho,
teria sucesso, pois sabia que agora não estava mais sozinho

___________________________________________________ _ _ _ _ _ _ _ _ -
Uma singela homenagem àquela pessoa que me suporta e me dá suporte, que é as pernas do meu tripé, que me faz ter fé, não em deus, pois se eu acreditasse, ele não faria milagres, mas fé em mim, pois fé é acreditar em algo, real ou abstrato. Obrigado, meu amor. ♥

domingo, 13 de novembro de 2011

Mil desculpas não bastam XD

Nenhum comentário:
Pegadinha do malandro!

Manolada, seguinte:

Esse nerd que vos fala está pensando em mudar um pouco de ares.. É, estou pensando em começar um NOVO blog, mais organizado, desde o início, sem trocas de nomes, endereços, etc.. Esse aqui muda muito, pior que personalidade de adolecente.. Aí me ferra né?

Sei que tenho muita gente que costumava ler este blog, e aprecio isso demais, mas quero algo mais.. Limpo, mais adulto. Aqui tem muito desabafo, muita coisa.. Muitos momentos, bons, ruins, tristes, felizes.. Mas nunca vou deletar isso aqui, pois é quase um diário pra mim ..

Ainda farei uma espécie de backup daspostagens, quero colocar isto em prática logo no começo de 2012. Não, não deletarei o Imagine, que sempre será um projeto excelente pra mim, ficará na memória como o começo da minha vida, mais ou menos, pois a partir do momento que perdi a vergonha de me expressar, cresci, amadureci.

E por isso mesmo ta na hora de mudar!

Exatamente, mudar.

Espero que todos que acessavam o Imagine, lembrem-se de mim no meu novo blog, que irei começar em janeiro de 2012.

Postarei aqui o nome, link e sobre o que falará, aguardem :D

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

(...) -II

Nenhum comentário:
Teu sorriso tão perfeito enquanto me beija,
o brilho no teu olho quando me cheira
Teu beijo tão doce,
teu sabor agridoce..

Momentos tão lidos, uma confiança tão plena
Lembranças de dias bonitos e umas palavras obcenas,
como um vírus que se espalha, correndo
e as coisas boas sobreescrevendo

Ficam coisas boas? Ficam.
Mas óbvio que não acabou, mas a dor é ainda mais forte,
essa sensação de perda, essas lágrimas que não param de cair

Esse buraco no peito por ter sido diota,
frases que mancharam nossa história

Minha vida, meu amor
por maior que seja o sentimento bom,
por mais intenso que seja

Um deslize e fica essa situação ruim,
fico em cacos,
meu coração em pedaços



Um corpo sem vida vagando é como fico
quando sinto essa culpa me corroendo, me maltratando
A minha alma se esconde, me deixa arcar com minhas burrices
e assm eu vou caminhando

Com medo, muito medo
Venha e me bata,
venha e me mate
Dói menos, vai por mim

Afinal, morto eu já sou, a cada vez que brigamos, a cada vez que nos desentendemos
e a dor nunca será o suficiente pra chegar ao mínimo do que sinto

É, o amor é complicado..
Não de entender, não de sentir
Mas de manter tão belo e lindo
Como tanto queremos..

(...)

Nenhum comentário:
Um sorriso assustador, meu reflexo no espelho
tudo aconteceu do mesmo jeito
Que aparecia nas historinhas da sua vida,
foi só mais uma figurinha repetida

Do outro lado do espelho, minhas lágrimas rolando
e no chão do banheiro, eu ia me sentando
Desespero, por ter feito o que não devia
Desespero, por sentir que você se ia

Me vi chorando, por besteiras que fiz
Me senti perdido e infeliz


Me sinto triste, no momento,
assistindo um muro antes firme, com risco de desabamento
E o pior é que nem fazendo meu melhor
eu consigo ser bom em algo

Desde a base, eu decepciono todo mundo,
na melhor coisa que me aconteceu,
consigui decepcionar a única pessoa que me acolheu

Em seu peito, no seu aconchego,
no seu carinho, em tudo

(...)

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Você

Nenhum comentário:
Ah, sua pele macia e sedosa,
essa boca gostosa..
Teus beijos tão perfeitos
Suas tatuagens nas costas,
teu cheiro, perfume de rosas

teus olhos levemente puxados
e o gosto dos teus lábios
Tuas mãos que me puxam,
tunhas unhas que me marcam

Teu abraço que me conforta,
tuas palavras como resposta
me fazem pensar,
mudar

Os sinais em teu corpo
me mostram o caminho
Dos pés ao teu rosto
te encho de carinho

O bafo quente em minha nuca
me põe numa sinuca
Deixo rolar e vou pro céu
ou tento me controlar e resistir ao teu mel?

sábado, 24 de setembro de 2011

Tragédia

Nenhum comentário:
Vince era apaixonado por Emilly, amava-a demais. Ambos tinham uma vida linda, um filho lindo de 8 anos e uma garotinha de 6. Tinham um bom emprego, moravam bem.

Viveram tanta coisa bonita, viagens, saídas, luas-de-mel, uma vida digna de filme.

Tinham trinta e poucos anos, tinham muito o que viver.

Num fim de tarde de uma quarta-feira chuvosa, um carro derrapa e bate no deles enquanto vão ao shopping. Os filhos saem ilesos, sem ferimentos, porém Vince e Emilly morrem na hora.

Muitos parentes lamentando, as crianças chorando, uma tragédia na família. Sai nos jornais, todos sentem pena, o enterro lota. As pessoas comentam no quanto a vida é injusta, no quão horrível foi aquilo.

Um desastre!

Uma tragédia!

Quanto dor, que dó que dá..

Mas..

... A tragédia é linda, basta olhar do jeito certo.

Eles se amavam muito, óbvio que amavam demais também seus filhos. Não iam suporta ver o parceiro morrer. Emilly não resistiria a dor de perder Vince, bem como Vince não aguentaria viver sem Emilly. Pois foram juntos para o além. Lindo.

Mas e as crianças? Eram duas, o garoto poderia suportar, viver e dar força a irmã, ambos serão fortes. Amadurecerão cedo, serão pessoas de bem. Seguirão o exemplo dos pais.

Os pais, que foram juntos, felizes por terem deixado as crianças com uma boa vida, com um exemplo já que eram pessoas de bom caráter.

A vida não é injusta. Essa é a verdade.

Um amor não é tão lindo quando não se tem uma história pra contar. Quando você ama, você entende o que falo, o que eu exponho aqui, essa beleza mesmo na tragédia.

<3

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Amizade? Acho que não

Diga-me você:

Amigo é aquele que tu corre atrás sempre ou aquele que tu chega e conversa naturalmente, com respostas e ambos puxando papo?

Tic, tac.

É, a gente deve se importar com que nos responde, com quem fala conosco.  Por causa de falsas amizades, pessoas que eu poderia chegar e dizer que era meu amigo ou amiga, eu vivo brigando com uma pessoa que de fato de importa comigo.

Cara, eu sou muito burro. Muito. O que que rola? Eu vou atrás dessas pessoas, eu puxo papo, tento ser amigo e tento, do fundo da alma, ser amigo. Mas porra, sempre que eu falo, até falam comigo, depois de horas, ou respondem um "oi" sei lá, mas se eu ficar ali online um ano inteiro sem dizer oi, não virão falar comigo.. É fato e comprovado.

Por que diabos eu insisto em brigar com quem se importa  e ainda defendo essas falsas amizades? Quer saber? Hoje foi dia de uma limpeza. No msn, por exemplo, não tenho mais esse tipinho. Hoje, eu digo que me arrependo de posts que fiz no Natal. Onde escrevi sobre muitas amizades, pessoas que eu me importava. Dali, pouco salva-se. Se é alguém com o qual eu vejo meio que direto e falo no olho, é compreensível que não se fale tanto "online", poxa.. Mas com quem eu quase não interajo, é meio que mau caratismo né?

De boa, Rochelle, Francine, Cami, Camila, Fernanda, Stephanie, Thaisy, enfim, cito os nomes e falo que vocês são aparecem no msn pra me atazanar, porque normalmente falam algo impróprio nas horas mais erradas e que serão mal interpretadas. Porquê? Caramba, já cansei de falar, digo, tentar falar com vocês, mas sempre me ferro quando faço isso. Sempre tem uma consequência quando um homem tem amizade com uma mulher. Sempre.

Cansei sabe?

Essa história de amizade não é mais tão confiável, já disse que tenho poucos amigos, pois a maioria é meu amigo na hora que me quer no time de futebol e é foda isso. Mas enfim, também há aqueles que me pedem conselhos ou amigas, como se eu fosse capaz de fazer milagres né.. Enfim.

Hoje eu explodi, pois O D E I O fazer quem eu gosto chorar, principalmente por um mal motivo. E no caso, odeio demais, muito mais, quando faço a Suh chorar, por eu ser um idiota. Mas já virou rotina e o fator comum é sempre o MESMO, eu ser idiota a ponto de falar com pessoas que não me respondem ou que simplismente falam comigo quando convém para tirar alguma dúvida mais..  Sexual, ou porque não sabe como se comportar com seu ficante, amante, namorado, enfim.. Ou quem sabe como conquistar uma mulher passo a passo, tipo EU NÃO SOU O HITCH e se funciona, não é por MINHA causa e sim prque tu deve ter dado um bom argumento pra pessoa que tu quer, caramba!

Se tu, mocinha de 'família', não sabe como deve fazer pra responder teus amigos ou não ser enganada, que não sabe olhar pra trás e ver seus erros e ainda que não sabe o que fazer quando for sexo casual, por dizer que só fez coisinha com sentimento, olha aqui ó: vai ler na internet, vai olhar videozinho na net, vai falar com tuas amiguinhas. Se uma pessoa acha que pode não estar afim, não faz.. Ou faz mas não enche meus ouvidos porra.

Não sabe que posição fazer, se deve usar a boca ou a mão, porra, vai fazer o que tu tá afim, não me pergunta. Nunca fui Deus, não sou psicólogo, nem psiquiatra, muito menos  Hitch. Também não sou sexólogo, se eu respondo é porque eu vejo a tua pergunta e cato no G O O G L E, tipo, a ferramenta mais simples do mundo. Põe ali  "o que fazer no primeiro encontro" ou assiste Two and the half men, que pode ajudar.

Desci de vez o nível nesse blog, mas hoje não é um dia normal, não tem porra alguma de poesia, não tem conto, historinha, projetos ou romance. Hoje isso aqui é só uma ferramenta pra expor a indignação ao olhar meus erros e e projetar não fazê-los de novo. E de boa, ESSE tipo de erro eu não cometerei mais. Cansei de fazer a pessoa que mais se importa comigo chorar por erros assim.

Desculpa por eu ser um idiota completo?

Dúvidas? Clique aqui e resolva seu problema.